6 Farinhas amigas da dieta cetogênica

Além de excluir doces, na alimentação com baixo carboidratos, a farinha de trigo e suas alternativas também ficam fora do cardápio. Mas o fato de ter optado por uma alimentação keto ou low carb, não significa que vai desistir de todos os seus alimentos favoritos feitos com farinha. Felizmente, existem diversas opções que tornam possível fazer doces, pães e massas nas versões 0 carb.

No entanto, estas farinhas, tem sua composição química completamente diferente da tradicional. Por isso nem sempre é possível substituir uma cetônica por outra de trigo comum na mesma proporção. Por exemplo, a farinha de coco, tem 10 vezes mais fibras que a de trigo refinada, o que significa que basta uma pequena quantidade para obter a mesma consistência em um bolo.

Por isso, trocar uma xícara de farinha de trigo tradicional por uma xícara de farinha Keto pode não ser a melhor alternativa. Confira algumas sugestões da Nutricionista Adriana Stavro:

Farinha de coco – É a segunda farinha mais comum usada em preparações lowcarb. Tem sabor ligeiramente adocicado e uma grande quantidade de fibras. Raramente é usada sozinha em receitas porque requer uma grande quantidade de ovos para equilibrar a alta quantidade de fibras. Por isso é comum misturar farinha de coco com farinha de amêndoa ou com psyllium para diminuir o número de ovos e melhorar a textura e o sabor. A proporção é 1 medida de farinha de trigo para 2 medidas da farinha de coco. Ideal para: sobremesas e para espessar. Mas lembre-se que você vai sentir aquele toque de coco.

Farinha de amêndoa – A farinha de amêndoas é provavelmente a alternativa mais popular à farinha de trigo comum. É pobre em carboidratos, repleta de nutrientes e tem um sabor ligeiramente doce. Também ajuda reduzir o colesterol LDL “ruim” e diminuir a resistência à insulina. Você pode usar a farinha de amêndoas como um substituto 1 para 1 da farinha de trigo na panificação. Ideal para: panificação, empanar

Farinha de chia – É rica em fibra solúvel. Elas podem absorver de 10-12 vezes seu peso em água, tornando-se gelatinosas. Teoricamente, isso aumenta a saciedade contribuindo para a perda de peso. A fibra também alimenta as bactérias benéficas do intestino, muito importante para a saúde. O melhor é misturá-la com outras farinhas em preparações como pães, muffins, bolos e massas. Para usar, basta substituir até 30% de sua farinha regular. Ideal para: panificação

Farinha de linhaça – Curiosamente, os benefícios a saúde são atribuídos principalmente aos ácidos graxos ômega-3 potencialmente anti-inflamatórios e suas fibras. Assim como a farinha de chia e a de coco, ela também absorve uma grande quantidade de líquido, por isso geralmente é misturada com outras farinhas. No entanto, o farelo de linhaça pode ser usado sozinho ou junto com sementes de chia. Ideal para: biscoitos

Psyllium – Excelente fonte de fibra solúvel. Eles absorvem muita água e incham, acrescentando estrutura aos alimentos. Adicionar um pouco de psyllium às receitas Keto feitas com farinha de amêndoa fornece uma textura mais parecida com a de um pão tradicional, mas, novamente. O ideal misturar com farinha de coco ou de amêndoas em partes iguais ou outras farinhas. Ideal para: panificação

Aveia – A aveia é conhecida por ser um alimento saudável para o coração devido ao seu alto teor de beta-glucanas. Além disso, ela contém mais de 20 polifenóis únicos, que têm demonstrado forte atividade antioxidante, anti-inflamatória e antiproliferativa, que pode fornecer proteção adicional contra doenças coronárias, câncer de cólon e irritação da pele. Como acontece com outras farinhas, as receitas não levam fibra de aveia isolada, mas em combinação com outras farinhas com baixo teor de carboidratos. Ideal para: panificação

Como armazenar farinhas com baixo teor de carboidratos

● Devem ser armazenadas em recipientes herméticos e refrigerados.
● Evite armazenar farinhas Keto em suas embalagens originais.

Adriana Stavro:

Instagram -@adrianastavronutri

Adriana Stavro – Nutricionista Mestre pelo Centro Universitário São Camilo

Especialista em Doenças Crônicas não Transmissíveis (DCNT) pelo Hospital Israelita Albert Einstein
Pós graduada em Nutrição funcional pela VP e em Fitoterapia pela Courses4U

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.