Entrevistas


Silvia Perotti

Annapurna Life

Atualizado em 31/03/2016

Especialista em culinária ayurvédica, a Chef Silvia Perotti iniciou sua carreira profissional como Gestora Executiva de Vendas na area de tecnologia. Influenciada pela mãe e pela avó paterna entrou no mundo gastronômico e decidiu seguir por esse caminho.

Praticante de Yoga desde a adolescência, durante um curso na Índia Silvia curou sua asma com o Ayurveda. A partir daí, decidiu compartilhar sua experiência com outras pessoas. Formada Chef du Cuisine pela Escola de Gastronomia Le Cordon Bleu em Patisserie (Paris) e pela Internacional School of Natural Cookery (EUA), especializou-se em culinária ayurvédica e montou seu próprio método, o Annapurna. 

Prezando pela alimentação consciente com processo individual de cura, o método pode ser aplicado a qualquer estilo de vida. Objetiva a “identidade alimentar” e qualidade de vida, trabalhando o não desperdício de alimentos e a alimentação consciente, sem restrições e sem culpa.

Você vem de uma carreira profissional ligada à tecnologia. De onde surgiu o interesse pela gastronomia?

Minha mãe e minha avó paterna foram minhas grandes inspirações. Elas despertaram o meu interesse pelo poder mágico que uma refeição bem preparada tem sobre as pessoas. Eu sempre soube que minha segunda carreira seria ligada à gastronomia e sou muito grata pela herança genética e pelos exemplos que me remeteram nessa direção.

Onde conheceu a culinária ayurvédica e por quê decidiu especializar-se nela?

Eu pratico Yoga desde a adolescência. Estudei Astrologia ocidental e védica, e a Ayurveda é um dos pilares do conhecimento universal que sempre me fascinou. 

Durante o curso na Índia eu me curei da asma e vivi um processo de superação muito profundo. Isso me levou a querer compartilhar essa experiência com outras pessoas, e por isso decidi me especializar. 

Fale um pouco sobre o Método Annapurna.

O método tem como objetivo criar uma ponte entre o conhecimento milenar da Ayurveda e a cultura ocidental. Ele consiste em dar ferramentas de auto-observação, e promove a transferência de conhecimento com uma didática simples e objetiva. No processo, a pessoa aprende a reconhecer através das reações de seu próprio corpo o que é bom e ruim, sem restrições e sem culpas. 

O método se aplica a qualquer estilo de vida e idade, quem cozinha, quem come fora, quem trabalha, quem faz esporte, crianças, seniores, executivos etc.

Além disso, o método que dura 7 sessões, aproximadamente 2 meses, oferece subsídio para uma mudança de hábitos que é duradoura e baseada na realidade de cada indivíduo.

O Annapurna relaciona cura e alimentação? Qual a relação do método com o não desperdício de alimentos e a saúde?

O equilíbrio de nossos sistemas físico, emocional e mental, depende do que comemos, pensamos, com quem convivemos e ambientes que frequentamos. Tudo isso influencia diretamente nossa saúde. Portanto, podemos dizer que a alimentação tem papel fundamental em nosso bem estar. Na Ayurveda a saúde não se define pela ausência da doença e sim pelo nível de liberdade do indivíduo. Ou seja, quanto mais equilibrados, mais amplo o espectro de possibilidades à nossa disposição, e consequentemente, maior nossa chance de realização.  

A combinação de conhecimento e auto-observação aplicados a alimentação é uma poderosa ferramenta na construção de um estado profundo de saúde, ao invés de pensarmos em cura que endereça e dá foco na doença.

Desperdício em geral está ligado a falta de planejamento na cozinha. Um grande trunfo do programa é mostrar como é simples utilizar talos e cascas na elaboração cardápios semanais que propiciam desperdício zero. 

Isso permite diminuir o custo e aumentar qualidade no valor nutritivo e sabor.

Qual sua criação gastronômica preferida para indicar?

Eu gosto muito das sobremesas e minha preferida é tartelete de pêssego com gengibre. Sem glúten, lactose ou produtos animais. Simples e deliciosa. Nos dias de festa dá para sofisticar a receita adicionando rum à calda de gengibre e/ou trocar o creme vegano por mascarpone.

Tartalete de pêssego

Creme de castanha

  • 1 Medida de castanha de caju crua
  • 1 Medida de água
  • Baunilha
  • Sal
  • Xarope de Agave ou Maple
  1. Deixar as castanhas de molho em água filtrada por pelo menos 4 horas.
  2. Lavar bem as castanhas colocar no liquidificador com a mesma medida de água limpa, bater até ficar cremoso. 
  3. Transferir para uma panela pequena de fundo grosso e levar ao fogo brando, mexendo de vez em quando até borbulhar no centro. 
  4. Quando borbulhar, tirar do fogo e acrescentar uma pitada de sal, agave e baunilha. 
  5. Transferir para um pote de vidro, cobrir com filme e colocar na geladeira.

Crosta

  • Amêndoa ou avelã crua (quantidade suficiente para cobrir o fundo da forma com folga)
  • Semente de linhaça (hidratada = processar levemente, adicionar água e deixar descansar por ½ hora)
  • Óleo de girassol
  • Farinha de arroz ou farinha de aveia
  • Baunilha
  • Xarope de Agave ou Maple
  • Sal
  1. Processar levemente as castanhas, adicionar a linhaça hidratada, regar com um óleo e processar até ficar brilhante, adoçar com o agave, colocar uma pitada de sal e baunilha. 
  2. Colocar farinha aos poucos processando até dar liga. 
  3. Não processar demais. 
  4. Pressionar no fundo e lateral da forma e assar em forno baixo até ficar opaca. 
  5. Deixar descansar e retirar da forma antes de esfriar completamente.

Pêssego

  1. Cortar o pêssego ao meio, tirar o caroço
  2. Cortar as metades em 3 fatias
  3. Grelhar os dois lados em grelha untada com óleo vegetal neutro
  4. Reservar

Calda

  • 1 Medida de água
  • 1 Medida de açúcar demerara
  • Gengibre
  1. Em frigideira funda, de fundo grosso adicionar a água e o açúcar
  2. Deixar em fogo médio até ferver
  3. Colocar gengibre a gosto
  4. Deixar cozinhar em fogo baixo até a calda cobrir o fundo de uma colher

Há alguma receita "curinga", que independe da época/estação do ano?

Sim, eu tenho uma receita de crudité de legumes que é um curinga! Pode ser servido como entrada, em sanduíches e até como prato principal se incrementado com cereal e/ou proteína. Para ajustar a receita às estações é só usar ingredientes da época. 

A vantagem dessa receita é a praticidade. Você pode preparar tudo com antecedência e finalizar de acordo com a necessidade do momento.

Qual a dica para quem não resiste às tentações de fim de ano?

Coma sem culpa. Cuide da hidratação. E nas refeições fora das festas dê preferência a frutas, legumes, folhas e cereais integrais. Para ajudar o organismo a se recuperar e alcalinizar, tome meio copo de água (temperatura ambiente) com meio limão antes do café da manhã. 

Mas, o mais importante é curtir os momentos com a família e depois retomar uma rotina saudável. Aproveite essa época e adote um hábito novo, como caminhar, estudar algo diferente, ou até mesmo buscar estar mais perto da natureza. Tudo isso ajuda muito a desintoxicar.

Por Rafaella Barreto

Veja a(s) receita(s) do Chef:








Publicidade

Publicidade



Publicidade

Publicidade