Clube do Vinho


Afinal, vinho faz bem à saúde ou não faz?

Toda manhã abro as redes sociais para ver o que há de novidade e encontro chamadas alertando para as mais novas descobertas científicas.

Atualizado em 05/06/2015

Toda manhã abro as redes sociais para ver o que há de novidade e encontro chamadas alertando para as mais novas descobertas científicas. Dia após dia, vem um novo post que refuta o que li 24h antes. É difícil acompanhar os fatos. Quando o assunto é vinho, não é diferente.

Essa semana enquanto fazia minha pesquisa no site de notícias EXAME, achei na mesma página duas matérias, uma contraindo a outra. A primeira manchete lê: “Vinho não faz tão bem para a saúde como você pensa”. A segunda, publicada alguns meses depois, diz: “Vinho faz tão bem quanto exercícios físicos”. Afinal, faz bem ou não faz?

Os dois artigos atentam à substância encontrada no vinho, o resveratrol. O composto é tido como um antioxidante, pois acredita-se que consumindo-o, o corpo se protege do risco elevado de câncer e de problemas cardíacos. O mercado de vitaminas aproveita das características do resveratrol para vender a rodo. A indústria farmacêutica promete perda de peso, vida longa e uma poderosa fórmula contra diabetes e até Alzheimer’s.

Assim, já que existe, no vinho, esta substância, o nosso impulso é sair correndo às lojas para estocar a casa com garrafas de bordô. Tenham calma. Parece que as pesquisas não foram das mais minuciosas ou completas. O EXAME.com discorre sobre o método de análise. Aparentemente, estudou-se apenas os efeitos do vinho em ratos. Além disso, efeitos colaterais de longo prazo ainda não foram observados. A ciência não pôde comprovar os benefícios do antioxidante.

Por favor, não nos leve a mal. Não queremos tirar o prazer para aproveitar um bom vinho. Só não podemos alegar que o bebemos por questão de saúde. Estamos apenas levantando a possibilidade de que a indústria vinícola pegou o bonde da publicidade em torno das vitaminas para vender o seu produto. Mas, eis o sistema em que estamos inseridos. Em outra nota, uma taça por dia tampouco provou-se mal a saúde. Por isso, sejamos esperançosos. Por via das dúvidas, enquanto não determinam nada, aproveitemos com moderação.



Publicidade

Publicidade



Publicidade

Publicidade