Cachaça


Rota da cachaça artesanal

Cachaçarias começaram trabalhos na década de 1930, 1940 e 1950

Atualizado em 15/03/2014

De colonização alemã e italiana, a cidade de Luís Alves, no Vale do Itajaí, é referência na produção de cachaça artesanal e aguardente. O local possui pelo menos oito alambiques. Os nomes fazem, em geral, referência aos fundadores e mantém viva a tradição das famílias produtoras.

A Destilaria Rech, que produz a cachaça Sacca, está na região desde 1938. "A tradição é do meu avô, que produzia bem pouco, no início, e passou para o meu pai", explica Osmar Rech. A cana de açúcar é plantada no local e também comprada, assim como o melado. "Produzimos cerca de 10 tipos. Como a produção de cachaça é grande precisamos comprar a matéria prima também", conta.

Segundo ele, são produzidas cachaça de melado e de garapa. "A de garapa é menos procurada e por isso produzimos pouco. As mais vendidas são a branca e a ouro, ambas de melado. Já as de sabor, como de coco, banana e canela são muito vendidas para drinks", conta.



Publicidade

Publicidade



Publicidade

Publicidade